Bachmann BC25249 180.30  Qtd:
Escala On30 (1:48)
NOTA: Apesar de ser em escala 1:48, utiliza o carril de H0 para funcionamento


Locomotiva a vapor da DRG&W Mogul 2-6-0
Analógica DC. Socket para digitalização
Época II.
  Bachmann BC26511 79.60  Qtd:
Escala On30 (1:48)
NOTA: Apesar de ser em escala 1:48, utiliza o carril de H0 para funcionamento


Conjunto de dois vagões plataforma da DRG&W com fueiros
Época II.
  Bachmann BC26541 91.40  Qtd:
Escala On30 (1:48)
NOTA: Apesar de ser em escala 1:48, utiliza o carril de H0 para funcionamento


Conjunto de dois vagões gondola da DRG&W, para transporte de carvão
Época II.
  Bachmann BC27098 54.50  Qtd:
Escala On30 (1:48)
NOTA: Apesar de ser em escala 1:48, utiliza o carril de H0 para funcionamento


Vagão fechado de mercadorias da DRG&W
Época II.
  Bachmann BC27198 54.50  Qtd:
Escala On30 (1:48)
NOTA: Apesar de ser em escala 1:48, utiliza o carril de H0 para funcionamento


Vagão cisterna da DRG&W
Época II.
  Brekina BK16316 14.90  Qtd:


Escala H0 (1:87)
PORSCHE 911, Modelo de 1976
  Brekina BK16362 14.90  Qtd:


Escala H0 (1:87)
PORSCHE 911, Modelo de 1976
  Brekina BK19516 15.90  Qtd:


Escala H0 (1:87)
Ford Granada II Turnier
  Brekina BK19517 15.90  Qtd:


Escala H0 (1:87)
Ford Granada II Turnier
  Brekina BK19518 15.90  Qtd:


Escala H0 (1:87)
Ford Granada II Turnier
  LGB LGB49500 60.00  Qtd:



Escala G (1:29)
Conjunto de expansão "Edição Familia e Brincadeira" composto por:
Vagão tremonha, máquina de obras e figura humana
  LGB LGB70503 199.00  Qtd:



Escala G (1:29)
Conjunto de iniciação "Edição Familia e Brincadeira", composto por: Locomotiva a vapor, vagão gondola e tremonha
Inclui circuito com 1290cm de diâmetro e comando analógico.
  Marklin M36182 226.00  Qtd:


/
Escala H0 (1:87)
Locomotiva eléctrica da MRCE, classe BR 193
Digital MFX com sons completos de funcionamento.
Época VI. 218mm
  Marklin M37064 343.60  Qtd:


Escala H0 (1:87)
Locomotiva eléctrica da DB classe 117
Digital mFX Plus com sons completos de funcionamento
Época IV. 183mm

Modelo One-Time Series
Modelo especial da Feira de Nuremberga 2019
  Marklin M37306 310.80  Qtd:


/
Escala H0 (1:87)
Locomotiva eléctrica da SBB, classe Re 4/4 "Zugkraft Argau"
Digital MFX Plus com sons completos de funcionamento.
Época V. 171mm
  Marklin M39520 569.90  Qtd:


/
Escala H0 (1:87)
Locomotiva eléctrica da SBB, classe Ce 6/8 "Kofferli"
Digital MFX Plus com sons completos de funcionamento.
Época II. 221mm

Molde novo. Edição comemorativa do 100º aniversário da "Krokodile"
  Marklin M47806 92.10  Qtd:


Escala H0 (1:87)
Vagão de transporte de contentores da RailReLease B.V., Rotterdam, tipo Sggrss80.
Época VI. 307mm
  Revistas RVBP246 8.00  Qtd:
Revista Bastão Piloto 246
  Revistas RVCARRUAGENS 31.00  Qtd:
Livro APAC Carruagens do Sul e Sueste
Por F. Cunha Pedreira
  Revistas RVFERROVIA 3.50  Qtd:
Livro "A Ferrovia em Portugal"

No século XIX, o comboio significava progresso. No século seguinte, entrou em declínio. E hoje? Sabia que Portugal é o país europeu onde o peso do comboio no movimento de mercadorias mais aumentou na última década e o principal operador do sector é rentável? E que a tendência recente é de crescimento no transporte de passageiros, sobretudo no longo curso entre as principais cidades e no serviço suburbano?

Este ensaio analisa e explica a evolução de mais de século e meio de existência do caminho de ferro português. Defende a ferrovia como alavanca do desenvolvimento económico, fundamental para sectores estratégicos como os portos ou uma melhor organização do território, e o comboio como o único modo de transporte já largamente electrificado, reduzindo a dependência dos combustíveis fósseis importados e as emissões poluentes.

Por fim, expõe prioridades e directrizes para maximizar o potencial da ferrovia no século XXI. Porque o comboio português pode e deve ir cada vez mais longe.
  Revistas RVFERROVIACD 5.00  Qtd:
Livro "A Ferrovia em Portugal" - Versão de capa dura

No século XIX, o comboio significava progresso. No século seguinte, entrou em declínio. E hoje? Sabia que Portugal é o país europeu onde o peso do comboio no movimento de mercadorias mais aumentou na última década e o principal operador do sector é rentável? E que a tendência recente é de crescimento no transporte de passageiros, sobretudo no longo curso entre as principais cidades e no serviço suburbano?

Este ensaio analisa e explica a evolução de mais de século e meio de existência do caminho de ferro português. Defende a ferrovia como alavanca do desenvolvimento económico, fundamental para sectores estratégicos como os portos ou uma melhor organização do território, e o comboio como o único modo de transporte já largamente electrificado, reduzindo a dependência dos combustíveis fósseis importados e as emissões poluentes.

Por fim, expõe prioridades e directrizes para maximizar o potencial da ferrovia no século XXI. Porque o comboio português pode e deve ir cada vez mais longe.
  Revistas RVMST118 9.80  Qtd:
Revista
Revista Mastren 118